terça-feira, 3 de maio de 2016

A hora de retomar o crescimento de sua empresa é agora!


A profunda crise que o Brasil passa parece estar começando a terminar. Diversos indicadores econômicos estão demonstrando o início de um processo de reaquecimento da economia, dentre os quais frisamos:

- indicação de reformas estruturais pelo futuro novo governo;
- aumento nas vendas do setor de supermercados;
- as taxas de juros nos contratos de longo prazo negociados no mercado estão em queda;
- as expectativas de inflação estão caindo para 2016 e 2017;
- as contas externas estão se fortalecendo, sendo que os analistas esperam um resultado positivo da balança comercial de US$ 54 bilhões, contra o negativo de US$ 7 bi do ano passado.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Redes sociais ajudam a antecipar o retorno do investimento em franquias


Em plena era digital, é imprescindível que as empresas estejam no ambiente on-line, e as mídias sociais são recursos de fácil acesso e com grande concentração de público, sendo opção adotada por 97% das corporações mundiais como parte integrante da estratégia de marketing, de acordo com pesquisa realizada pela empresa de tecnologia Avanade, que avaliou 22 países, incluindo o Brasil.

As redes sociais do Instituto Embelleze evoluíram neste ambiente e não só promovem a interação da marca com seus franqueados e alunos como também têm colaborado para o crescimento das unidades, ajudando o franqueado a alcançar as metas em seu negócio. É o caso de Francisco Castro, dono de uma franquia em Boa Vista, em Roraima, que abriu uma página corporativa no Facebook antes mesmo da inauguração. “Dessa maneira, quando abri as portas da escola, já contava com 180 matrículas feitas por meio de contatos da fan-page”, afirma Castro, que alcançou o ponto de equilíbrio de seu negócio logo no primeiro mês de operação.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Pornografia no Facebook: como resolver a questão?



Por Acácia Lima


O Facebook surgiu com a ideia de manter os amigos em contato e ser, de fato, uma "rede" em que fosse possível encontrar pessoas e assuntos pertinentes ao seu universo. Objetivo atingido com sucesso, a evolução foi começar a ganhar dinheiro com publicidade e tornar-se a maior rede social do planeta. Mas tudo isso tem um preço. O rápido crescimento do Facebook obrigou a rede de Mark Zuckerberg a proteger seus usuários de mensagens ofensivas e garantir que ela não seria mais um meio de divulgação pornográfica.

Com uma política de uso considerada por muitos como rígida demais, o Facebook bloqueia perfis e exclui conteúdos polêmicos através de "robôs", que vasculham a rede atrás de infrações à política do site - como cenas de nudez por exemplo - e também através de informações dos próprios usuários que denunciam conteúdo ofensivo. Em algumas situações, como o caso dos bloqueios dos perfis de mães amamentando e de fotos de pacientes que passaram por mastectomia, o Facebook voltou atrás em sua decisão após intensa repercussão negativa em "respeito ao direito das pessoas em compartilhar conteúdo com importância pessoal".

Agora, uma nova atividade no Facebook promete aquecer ainda mais a discussão sobre "conteúdo ofensivo" nas redes sociais. Trata-se da forte onda de pornografia e cenas violentas que tem tomado conta das timelines dos usuários. Alguns casos chegam a chocar, como o vídeo com pornografia infantil que teve mais de 16 mil compartilhamentos e 4 mil curtidas em março deste ano.

terça-feira, 30 de julho de 2013

O que o Obama pode ensinar a Dilma sobre mídias sociais?

Por Acácia Lima

Cidadãos brasileiros, celebridades e empresas nacionais já sentiram na pele o poder e a importância das mídias sociais. Prova disso é que 67 milhões de pessoas estão registradas no Facebook somente aqui no Brasil e 88% das empresas possuem pelo menos uma mídia social como veículo de comunicação.

Preocupada com a queda de sua popularidade, a presidente Dilma Rousseff também não quer ficar de fora. Há algumas semanas ela tem participado de encontros com especialistas em redes sociais a fim de criar um grupo responsável pela comunicação do governo com o povo via mídias sociais. A ideia ocorreu depois que a intensa manifestação iniciada nas redes sociais resultou em manifestações por todo o Brasil em junho deste ano.

Em 2010, Dilma Rousseff fez um apático uso pessoal das plataformas de comunicação digital e prometeu estar mais presente em 2011, o que, infelizmente, não aconteceu. Diferentemente de Barack Obama, presidente dos EUA, eleito e reeleito maciçamente pelo inteligente trabalho nas redes sociais em 2008 e 2012, a presidente do Brasil e sua equipe ainda não sabem como operarão estrategicamente os canais desta nova comunicação.