terça-feira, 31 de julho de 2012

Brasil está na média mundial em inclusão digital

O Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV) lançou nesta terça-feira o Índice Integrado de Telefonia, Internet e Celular (Itic), colocando o Brasil na média mundial em inclusão digital, com 51,3% da população.

O novo indicador, com base em dados de pesquisa global do instituto Gallup em 161 países, mede o acesso das pessoas a celular, internet via computador, telefone fixo e computador sem acesso à rede.

O Brasil está em 72º lugar no ranking liderado pela Suécia (95 8%) e pela Islândia (95,5%). Excluído do índice o acesso à celular, o Itic do Brasil cai para 39,3% da população, mas sobe para 70º no ranking global.

"O celular é fundamental para a inclusão digital", afirmou o economista Marcelo Neri, professor da Escola de Pós-graduação em Economia (EPGE) e pesquisador do CPS/FGV, coordenador do estudo.

Lançado nesta terça-feira no Rio, o Itic foi elaborado pelo CPS/FGV com apoio da Fundação Telefônica.

Fonte: Info

segunda-feira, 30 de julho de 2012

O horário nobre do Facebook

O Scup, ferramenta de monitoramento em mídias sociais, faz de tempos em tempos um estudo para mostrar aos que trabalham com as mídias sociais, quais são os horários nobres do Twitter e do Facebook. 

Amanhã será lançado um infográfico completo com o estudo sobre o horário nobre do Facebook.  

Uma amostra do conteúdo que será lançado amanhã:


Fonte: Mídias Blog

sexta-feira, 27 de julho de 2012

O alívio do Facebook: US$ 500 mil em anúncios móveis por dia

Lançadas há cerca de dois meses em celulares, as Histórias Patrocinadas - ou Sponsored Stories - já são responsáveis por metade do valor que o Facebook fatura por dia em publicidade.

Os números vieram a público ontem, na primeira divulgação de resultados desde que o site abriu capital, e representam um alívio para Mark Zuckerberg, já que as maiores dúvidas relacionadas à capacidade da empresa de gerar rentabilidade moravam justamente nos dispositivos móveis.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

E-commerce no Brasil deve dobrar até 2017

De acordo com estudo realizado pela Forrester, o Brasil é o mercado mais avançado da América Latina quando se trata de e-commerce, ultrapassando Argentina e México.

A expectativa é que as vendas online do varejo alcancem 25 bilhões de dólares em nosso país até 2017, mais do que o dobro dos esperados 12,2 bilhões de 2012, segundo reportagem do The Next Web. Para efeito de comparação, o Brasil, sozinho, representou mais da metade do total da receita do Mercado Livre no primeiro trimestre desse ano, com 83,7 milhões de dólares.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

O caminho do relacionamento nas mídias sociais

Basicamente, o caminho para uma empresa se relacionar nas mídias sociais é escutar o que as pessoas falam, conhecer os perfis e os gostos dos consumidores, ter o que dizer e saber como responder quando necessário.

Segundo Robert Scoble, blogueiro e estudioso americano, “como uma estrela do mar que tem seus braços ligados a um miolo central, a estratégia de uma empresa no mundo digital deve ser como esse centro que conecta todas as ferramentas e todos os públicos entre si”. Mas para que isso aconteça é preciso planejar diversas ações, que começam na implantação de uma operação de monitoramento, passam pela criação de um manual de relacionamento e se completam na criação de uma cultura de mídias sociais dentro da organização.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Os CEOs e as mídias sociais





Recente pesquisa realizada pelo site CEO.com revelou que 70% dos CEOs citados pela Fortune 500 não utilizam as redes sociais: apenas 19 (4%) são usuários do Twitter e 38 (7,5%) do Facebook, por exemplo. Há que se considerar, ainda, que o número de usuários ativos é ainda menor, pois, dos CEOs que criaram perfil nas mídias sociais, nem todos mantém suas contas regularmente alimentadas.

Com mais de 1 bilhão de usuários no mundo, segundo a International Telecommunication Union em sua mais recente pesquisa, parece que os CEOs estão na contramão da história, mas o motivo pode ser simples: segurança.

O receio da exposição natural das mídias sociais tem fundamento uma vez que é possível, através delas, conhecer hábitos, lugares frequentados e ter acesso aos membros da família. Algumas redes, como o Facebook, possuem ferramentas de proteção e bloqueiam o que pode ou não ser visto por estranhos. Entretanto, sem conhecer direito esses mecanismos e com a habilidade de hackers "furarem" sistemas de segurança, nem sempre um usuário visado se sente à vontade ao participar das redes.

Entretanto, com cuidado, é possível fazer parte desse mundo virtual e alguns motivos para tal devem ser analisados. Entre eles, os citados pelo site CEO.com merecem reflexão:

  • 77% dos usuários das mídias sociais acreditam que a presença do CEO melhora o desempenho comercial da empresa;
  • 81% acreditam que CEOs com perfis em mídias sociais são líderes melhores;
  • 82% acreditam que eles são mais confiáveis;
  • 94% acreditam que melhoram a imagem da empresa;
  • 78% desejam trabalhar para estes CEOs.

Fazem um bom trabalho em seus perfis, Meg Whitman, CEO da HP e dirigente com o maior número de seguidores no Twitter (mais de 242 mil) e o magnata das comunicações Rupert Murdoch, com 237 mil seguidores.

Talvez valha a pena estudar a maneira como Meg Whitman e Rupert Murdoch abastecem suas mídias sociais e aprender com eles que é possível, sim, manter uma vida online segura, sem comprometer sua segurança e protegendo suas empresas.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

‘Social gifting’: serviço de compras de presentes via redes sociais



O "social gifting", uma nova ferramenta de e-commerce, começa a crescer, ganhar popularidade na Internet e vem agradando tanto aos anunciantes quanto aos consumidores. O termo se refere basicamente às compras realizadas através da utilização de perfis de redes sociais e aplicativos para smartphones, com as quais usuários podem presentear seus amigos e familiares. No Facebook, por exemplo, a ideia é ofertar vales que podem ser resgatados em lojas físicas ou virtuais.

Essa nova estratégia de comércio online começou a crescer no fim de 2011, com o lançamento do Wrapp, aplicativo iOS e Android que conta com os cofundadores do Skype e do LinkedIn. Um dos grandes pontos que está atraindo os varejistas para esses novos investimentos, é que além do baixo custo de comercialização, eles ainda podem construir outras experiências de conexão com seus clientes.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Câmeras com Wi-Fi e integração com redes sociais chegam ao Brasil

A Samsung apresentou hoje sua nova linha de câmeras compactas: são quatro modelos com zoom óptico que varia de 10x a 21x e, o mais bacana, com Wi-Fi integrado para compartilhar fotos em redes sociais, por e-mail ou em armazenamento online.

A Samsung WB850F faz parte da família de "Smart Cameras" da fabricante coreana: graças ao Wi-Fi embutido, ela é capaz de enviar imagens por e-mail, redes sociais (Facebook, Picasa, Photobucket e YouTube), serviços na nuvem (SkyDrive, da Microsoft), fazer backup automático no computador e mandar fotos para equipamentos com Wi-Fi Direct ou DLNA e para smartphones com Android - dá até para usar o telefone como visor da câmera.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Grandes empresas estão mais presentes nas mídias sociais

As 100 maiores empresas do mundo estão utilizando cada vez mais as redes sociais. É o que indica a terceira edição do estudo Global Social Media Check-up, realizado pela Burson-Masteller. A pesquisa examinou como as companhias listadas no ranking global da Fortune utilizam as plataformas de mídias sociais mais populares (Twitter, Facebook, Youtube, Google Plus e Pinterest) e concluiu que 87% têm perfis em pelo menos um dos canais analisados, o que representa um aumento de 10% desde 2010.

Mais uma vez, o Twitter se destacou, sendo o mais popular, com 82% das citações. No total, em um único mês, as 100 maiores empresas globais juntas foram mencionadas 10.400.132 vezes nas redes sociais, especialmente no microblog. No período, o Youtube foi o que mais cresceu: aumentou em 79% o número de marcas com um canal oficial no site. Em média, cada brand channel tem mais de dois milhões de visualizações e 1.700 inscritos.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

As mídias sociais nas eleições 2012


Inegável fonte de informações, entretenimento, divulgação e interatividade, as mídias sociais terão papel fundamental nas eleições brasileiras de 2012. Já usada como ferramenta de campanha, a internet diminuiu o poder da TV - enquanto o candidato apresenta seu plano de governo, os eleitores estão falando ao celular e navegando no Facebook e Twitter.

Utilizadas com extremo sucesso na campanha de Barack Obama durante a corrida presidencial americana de 2008, as redes sociais não só o aproximaram dos seus eleitores, como também foram responsáveis por 47% do dinheiro arrecadado, só no Twitter.

Além do Facebook e Twitter, outro canal de grande importância é o YouTube.  Se na TV os candidatos controlam sua imagem, no YouTube qualquer pessoa pode divulgar um pequeno vídeo feito com o próprio celular. Aliás, esse será o grande desafio das próximas eleições: a regulamentação das mídias sociais.

Segundo a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Helena Chagas, durante a Conferência Legislativa sobre Liberdade de Expressão, na Câmara dos Deputados, “o número de pessoas que lidam com as redes sociais é enorme e não há nada a ser feito em termos de regulamentação por causa da liberdade de expressão. Esse é o desafio porque há pessoas que entram na Justiça reclamando dos abusos que destroem reputações”.

A ministra disse ainda que a internet é um dos espaços mais caóticos de expressão e é quase impossível de ser fiscalizado. “Acho quase impossível fiscalizar a internet. É uma sinuca de bico e temos que encontrar a medida certa, mas nada que controle o conteúdo”, defendeu.

Dessa forma, caberá ao candidato que decidir utilizar as mídias sociais em sua campanha vigiar constantemente os perfis a fim de interagir nas boas e más mensagens a seu respeito.  Alguns eleitores, entretanto, já estão se manifestando contra as campanhas via Facebook, defendendo o direito de usar esse espaço apenas para os assuntos de sua livre escolha.

Este é, portanto, outro desafio desta campanha. Além de controlar o que é publicado, os candidatos terão que descobrir uma maneira de envolver e engajar o eleitor, sem invadir seu espaço e sem correr o risco de ser “excluído”. Está lançada a tarefa.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Sites pequenos despontam no e-commerce brasileiro

Driblando o atual cenário econômico que pesa sobre o varejo tradicional, o ainda jovem mercado brasileiro de comércio eletrônico tem a seu favor um vasto espaço ainda não preenchido, com perspectiva de mais que dobrar de tamanho até 2020, tendo empresas especializadas e de menor porte como protagonistas.

Pouco mais de uma década após despontar, o varejo online no país vem ganhando impulso, apoiado na combinação de aumento de renda da população e maior número de consumidores com acesso à Internet, que demandam maior oferta de produtos e serviços.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Governo anuncia projeto-piloto de banda larga gratuita para celulares e tablets

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, anunciou nesta quinta-feira em Brasília um projeto-piloto que prevê a utilização de internet via telefones celulares e tablets de forma gratuita. Batizado de banda larga 0800, a iniciativa – ainda em fase de testes – permite que os usuários acessem sites predeterminados sem cobrança adicional mesmo em planos pré-pagos.

Em nota oficial, o Ministério das Comunicações afirmou que provedores de conteúdo, como sites populares e portais de internet, podem pagar para participar do projeto e facilitar o acesso ao serviço. Esse modelo de negócios prevê uma tarifação reversa à da telefonia atual, com as empresas de conteúdo pagando pelo custo da ligação. “A internet é uma ferramenta importante de divulgação das informações, que precisam estar abertas à população”, ressaltou Bernardo no comunicado.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Projeto prepara varejo para e-commerce na Copa

Os micro e pequenos varejistas que ainda não colocaram os pés na internet precisam se apressar para aproveitar as oportunidades de negócios que serão geradas com a Copa do Mundo. Para ajudar esses lojistas a se preparem para fazer parte desse jogo, um projeto de inclusão digital comercial vai percorrer, a partir de agosto, as 12 cidades-sede do mundial de futebol de 2014.

O II Seminário Nacional de Comércio Eletrônico, Meios de Pagamento e Negócios na Web (Ecom 2012), megaevento que reunirá representantes do Sebrae, da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), da indústria de tecnologia da informação e agentes financeiros. O road show está sendo realizado pelo segunda vez no País. Segundo os organizadores, na primeira edição o encontro reuniu mais de sete mil pessoas.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Internet é a mídia de maior crescimento publicitário no mundo

Os investimentos mundiais em propaganda na web seguem crescendo rapidamente. De acordo com números da Nielsen divulgados nesta terça (10), no primeiro trimestre deste ano, a publicidade online aumentou 12,1% em relação ao mesmo período do ano passado. A Internet foi a única mídia com dois dígitos de expansão.

Nas sete categorias cobertas pelo relatório Global AdView Pulse da Nielsen (TV, rádio, jornais, revistas, Internet e cinema), as revistas foram a única com redução no investimento publicitário - queda de 1,4%.

terça-feira, 10 de julho de 2012

O mundo de possibilidades das mídias sociais


O Brasil ultrapassou a Índia e é hoje o 2º país com mais usuários no Facebook - 46 milhões - atrás apenas do disparado líder, Estados Unidos, com 157 milhões de cadastrados. No Twitter, nossa situação é similar: ultrapassamos o Japão e, desde fevereiro, somos vice no número de usuários: 33 milhões na rede do microblog.

Em média, cada brasileiro destina 5 horas do seu dia às redes sociais, sem mencionar as compras online: em 2011 foram R$ 18 milhões de faturamento no e-commerce (ainda longe do comércio virtual americano, R$ 18 bilhões). Com números tão volumosos, grande parte das empresas já percebeu a importância de estar presente nas mídias sociais. O que elas não sabem, na maioria das vezes, é como fazê-lo.

Se nas mídias convencionais (TV, rádio, revistas e jornais), as empresas tinham total controle sobre o que era divulgado sobre elas, hoje qualquer fan page no Facebook pode se tornar uma porta de comentários nem sempre favoráveis. Com receio de tornarem-se vulneráveis, marcas pequenas e grandes se mostram relutantes quanto ao uso correto das mídias sociais, e assim não se permitem aprender a lidar, de maneira democrática e transparente, com seu público alvo e, principalmente, com seus consumidores mais ativos.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Social Media é coisa para profissionais. Não para sobrinhos.


“Isso mostra que você não entende nada de social media e nem de Facebook” me disse outro dia uma pessoa, após eu comentar que determinado artigo era uma das maiores bobagens que li nos últimos tempos.

Não. Não, entendo mesmo.

O fato de eu ter algumas centenas de amigos no Facebook, o mesmo volume de contatos no LinkedIn e pouco mais de mil seguidores no Twitter, não me faz um especialista no assunto. Assim como o fato do Tarcísio Meira ter feito dezenas de novelas não o faz um especialista em televisão.

Eu sou apenas uma pessoa que usa bastante as redes sociais para fins pessoais e profissionais. Não me julgo, não pretendo, nem nunca disse que sou um especialista no assunto.

Mas isso não me impede de emitir uma opinião, baseada em meus mais de 20 anos de carreira em publicidade, 16 deles na publicidade online: o mercado de social media no Brasil precisa mais do que nunca de profissionais e não de sobrinhos.

Sim, sobrinhos, este personagem que assola o mercado de internet desde os seus primórdios.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

YellowA realiza curso de mídias sociais para pequenas e médias empresas


Conquistar e fidelizar clientes. Esse é o principal objetivo das empresas ao descobrirem a força das mídias sociais. Cada vez mais, grandes corporações estão investindo na montagem de equipes próprias ou na contratação de empresas especializadas em comunicação online. Mas, pensando no empreendedor de pequeno e médio porte, a YellowA, agência especializada em mídias sociais, inovou e criou um curso que irá ajudar essas empresas a gerirem sozinhas seus perfis em redes sociais.

 Com estratégias simples e diretas, o curso vai ensinar desde técnicas de comunicação até o uso de ferramentas gratuitas, capazes de auxiliar a empresa a explorar todo o universo online. “Estamos dando uma oportunidade para que as empresas de pequeno porte, que não dispõe de verbas para investirem na profissionalização do gerenciamento das mídias sociais, descubram o que se pode ganhar com um bom plano de marketing digital”, diz Acácia Lima, diretora da YellowA.

Brasil é o país que tem maior crescimento no Facebook

Nenhum país do mundo cresce tanto no Facebook quanto o Brasil. De acordo com uma pesquisa feita pelo site especializado Social Bakers, as estatísticas dos seis primeiros meses de 2012 na rede social de Mark Zuckerberg revelaram um impressionante aumento de 45,55% na base de usuários brasileiros na página: ou seja, mais de 16 milhões de novos usuários do Brasil se registraram no “Face” durante os últimos seis meses.

Com este crescimento, os brasileiros agora já são mais de 51 milhões no Facebook, liderando o ranking dos “emergentes” do site, deixando a Índia (com 49 milhões) em segundo lugar e o México (com 35 milhões) em terceiro. No Top 15, aparecem, além dos três primeiros, Japão, Indonésia, Egito, Vietnã, Coreia do Sul, Tailândia, Alemanha, Argentina, Filipinas, Polônia, Itália e Colômbia.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Serviço usa geolocalização para mostrar promoções mais próximas


Começa a operar hoje, no Brasil, o Guiato, primeiro serviço de geolocalização para busca de ofertas no varejo off-line na web ou no celular, por meio de aplicativos para dispositivos iOS (iPhone e iPad) e Android.Para os varejistas, a Guiato oferece um novo canal para distribuir e dar maior visibilidade aos seus catálogos e folhetos promocionais impressos, na web e em dispositivos móveis, no momento da decisão de compra.


 Para o consumidor, a possibilidade de localizar rapidamente uma grande diversidade de ofertas de produtos em lojas próximas no exato momento em que estão dispostos a fazer compras.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Empresas ainda não aproveitam potencial do mobile


Ler o jornal, acompanhar o campeonato de futebol, checar e-mails, acessar a previsão meteorológica, consultar o GPS. No último ano, o Brasil teve 33,2 milhões de pessoas conectadas à internet acessando os mais diversos conteúdos por meio de dispositivos móveis. Antes inimagináveis, a mobilidade e o acesso à informação que smartphones e tablets ligados à web deram ao brasileiro não são mais planos para um futuro distante.

Dados da pesquisa Mobile Modes, feita pelo Yahoo! Insights em parceria com o Instituto Ipsos, mostram que até o fim de 2012 serão 51,4 milhões de brasileiros acessando a internet a partir de dispositivos móveis. Para os anos seguintes a perspectiva é ainda maior: serão 67,7 milhões de usuários em 2013, 86,5 milhões em 2014 e 110,5 milhões em 2015.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Mídias sociais no B2B


O termo B2B (do inglês business to business) é usado para troca de informações, compra e venda de produtos e de serviços entre empresas através da internet, incluindo-se aqui,portanto, as mídias sociais. Neste ambiente de negócios, ao invés de conversar com o típico comprador final (um consumidor de cosméticos ou refrigerantes, por exemplo), a empresa se relaciona virtualmente com outra empresa, e ambas, então, desenvolvem negócios essenciais para o desenvolvimento de suas atividades, quer uma para a outra, quer para o desenvolvimento conjunto de produtos visando outros consumidores.

Com relação às mídias sociais, uma dúvida persiste dentro do B2B: se "estar" nestas mídias representa uma incógnita para a maioria das empresas - e para as pequenas esta dúvida é ainda maior - quando elas são voltadas a oferecer serviços exclusivamente a outras, será que ter uma página no Facebook, por exemplo, seria capaz de lhe trazer resultados? 

Em pesquisas que realizo semanalmente, tenho observado inúmeros erros quando uma empresa divulga suas atividades B2B na internet, e nestes casos acredito que a primeira pergunta que o empresário que atua neste meio deveria se fazer é: "como devo usar corretamente as mídias sociais para gerar negócios para minha empresa?".